domingo, 12 de fevereiro de 2017

Avistamentos no céu do Brasil - 2017

O mês de janeiro de 2017 foi movimentado nos céus do Brasil, além do avistamento de uma luz azul vibrante que eu e meu marido fomos testemunhas, no dia 12 de janeiro (em Salvador/BA), tivemos outros relatos, a exemplo das luzes azul e outra prateada  que seguiram um avião da Azul  de 21 para 22 de janeiro, conforme artigo da Revista Ufo. Na casuística ufológica brasileira há muitos relatos de pessoas confiáveis sobre óvnis acompanhando aviões e tivemos em 1986 até uma invasão no nosso espaço aéreo que ficou conhecida como a “Noite Oficial dos Ufos” .

Voltando para 2017,  uma série de avistamentos aconteceram entre 16 à 22 de janeiro em Santa Catarina. O que será que eles estão fazendo por nosso espaço aéreo? Estão à procura de algo específico? Sempre é bom ficar alerta para esses fenômenos, pois a história nos mostra que antes de uma grande eventualidade (nem sempre boa) óvnis são vistos sobrevoando o local ou as proximidades.


Você não acredita.  Fique esperto, olhe para o céu, você é observado no seu mundo bem real.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Será que foi um Lobisomem?


No universo multidimensional  em que vivemos aqueles que só ficam presos aos padrões perdem muitas coisas porque o mistério, o fascínio, o fantástico nos espreitam a todo momento. 

Sei que muitos desses mistérios assustam, apavoram muita gente, e eu quando vivi um desses momentos, também fiquei apavorada, afinal eu tinha uns nove para dez anos de idade e estava nessa época na casa dos meus avós paternos no povoado Aguada interior de Sergipe quando isso aconteceu.

Lembro que era noite de lua cheia e nós (meu avô e minha avó e eu) havíamos chegado do povoado, porque morávamos ainda mais distante em um sítio sem luz elétrica e todos fomos deitar, eu no segundo quarto da casa, e quando já estava conciliando o sono, senti uma respiração muito forte no lado de fora da janela, fiquei quieta, não me mexia, quase nem respirava. Ouvi novamente a respiração que puxava o ar de dentro, como se tivesse "farejando" algo, nesse caso, eu. Então me viro bem devagar para o lado da janela e percebo o formato de um "ser" alto e pude perceber que era peludo. 

Para entender como pude visualizar essa forma, era noite de lua cheia como já mencionei, quem mora no interior que não há iluminação artificial sabe do que estou falando, a claridade da lua no céu limpo para  quem estar acostumado, é perfeita, se pode reconhecer uma pessoa de longe, então nesse caso a janela artesanal tinha umas frestas que podia ver claramente outra pessoa na parte de fora refletida na claridade da luz do luar. 

O ser continuou sugando o ar e quando expirava soltava um bafo de um animal e entrava pelas frestas um cheiro de "mulambo" (pano velho e sujo), eu suava frio e me tremia toda com medo daquela coisa, a voz quase sem sair consegui chamar pelos meus avós, dizendo que tinha um "bicho me cheirando" pela janela, meus avós conhecedores daquelas criaturas que apareciam por lá, mandaram eu calar a boca e ficar quieta, eu fiquei acordada até os primeiros cantos do galo, quando o meu avó levantou para ordenhar as vacas, daí eu relaxei e dormi, pois o sol já ia raiando. 

Ao acordar, eu insisti com os meus avós que havia um "bicho" na janela do meu quarto e fui correndo ver as marcas no chão e para minha surpresa não havia nada. Agora eu confesso  que fiz algo feio, fiquei escutando atrás da porta os meus avós conversando e minha avó perguntou para o meu avó se ele havia apagado as marcas no oitão da casa e ele disse que fez isso assim que levantou. Por que? Eles sabiam de fato que houve "algo estranho" no lado de fora da casa e limparam as marcas para que eu não ficasse impressionada? O que seria aquilo, um lobisomem¹ ? Logo após aquele episódio ouvimos alguns relatos de pessoas que se depararam com o bicho ou lobisomem e quando alguém chegava lá com essa conversa a minha avó mandava eu sair da sala para não ouvir conversa dos mais velhos. 

Você não acredita? Cuidado os lobisomens agora são modernos, urbanos, no seu mundo bem real,

¹ Lobisomem é um ser lendário, com origem na mitologia grega, segundo as quais, um homem pode se transformar em lobo ou em algo semelhante a um lobo em noites de lua cheia, só voltando à forma humana ao amanhecer. No Brasil existem muitas versões dessa lenda, variando de acordo com a região. Uma versão diz que a sétima criança em uma sequência de filhos do mesmo sexo tornar-se-á um lobisomem. Outra versão diz o mesmo de um menino nascido após uma sucessão de sete mulheres. Outra, ainda, diz que o oitavo filho se tornará a fera. Outra já diz que é apos a morte de um familiar que possuía a aberração e passou de pai pra filho, avô pra neto e assim por diante. (Fonte: Wikipédia)